Archive for the Debian Category

LowSpecBox: Aplicações leves para CLI e GUI (2)

Posted in Debian, LowSpecBox on Novembro 14, 2010 by ovigia

Depois de na 1ª parte ter deixado links para diversos sistemas operativos livres, óptimos para correrem em hardware mais antigo, vou agora deixar aqui uns quantos links para blogs e sites que tratam o tema das aplicações leves para construir-mos uma LowSpecbox.

Para ser mais fácil updates a esta entrada serão efectuados nos comentários….

Blogs/links para apps e CLI Bash/Zsh

Dicas para instalar distros leves

Powered by ScribeFire.

A minha Debian e Crunchbang #1

Posted in Apps, APT, CLI, Debian, GUI on Abril 26, 2010 by ovigia

Vou dar início a mais uma entrada aqui no Debian Dicas tendo como objectivo uma mental note de tudo o que gosto de ter instalado nos meu Laptop e futuro Netbook, que espero venha a ser um com CPU ARM.

https://i2.wp.com/www.linuxinsight.com/files/images/why-mike-likes-debian.jpg

Nesses computadores opto sempre por escolher aplicações leves dando preferência a aplicações que correm na CLI (linha de comandos).

No título menciono Debian e #!CrunchBang porque como já escrevi no Nixware, a #!CB (CrunchBang) a partir da nova versão que já está disponível em versão alpha, a Statler, que é baseada na versão Testing/Squeeze da Debian, a futura versão estável desta venerável distro, como tal instalar qualquer uma das duas é uma excelente opção.

Outra das razões de não estar a fazer grandes distinções entre instalar uma ou outra é o facto de ambas usarem o instalador da Debian e ainda o facto da #!CB usar dois gestores de janelas leves, o OpenBox e o Xfce, ambos muito bons para instalar neste tipo de máquinas.

É claro que em qualquer uma se pode escolher instalar outro gestor ou mesmo um desktop manager como o KDE.

Outras boas escolhas para este tipo de hardware são o Fluxbox, E17, LXDE bem como o Pekwm.

Num portátil ou netbook convém instalar-mos algumas medidas de segurança como é o caso de LVM com encriptação, pelo menos para a partição/volume onde está a HOME/directoria dos utilizadores.

Termino esta primeira parte descrevendo brevemente como os meus discos de laptops geralmente ficam particionados, uso sempre uma partição para o root file system /, outra para a Swap e outra para a directoria dos utilizadores HOME.

Debian Testing e Sid (Unstable) usando Pinning

Posted in APT, CLI, Debian on Janeiro 14, 2010 by ovigia

Desde há tempos que corro no meu portátil Debian pura, uma mistura de Testing (a futura versão Squeeze) e a Sid (a versão Unstable) da Debian.

Comecei a pensar nisso quando durante algum tempo usei a distro sidux, totalmente baseada na versão Sid da Debian, como nunca tive qualquer problema com o seu uso e os seus updates e após ter gostado da simplicidade da distro #!Crunchbang (baseada em Debian/Ubuntu), resolvi tentar construir a partir de uma instalação netinstall da Debian o mesmo funcionamento da #!Crunchbang.
A propósito existem discussões no forum dela por forma a eventualmente a próxima versão deixar de ser baseada em Ubuntu e passar a puro Debian Testing/Unstable tornando-a assim numa flexível rolling distro, tal como a malta do Eeebuntu planeia fazer o mesmo com a sua Eeevolution 4.0.

A partir da próxima versão oficial da Elive, esta também passará a ter a versão de desenvolvimento baseada na Testing da Debian, hoje é baseada na versão Stable/Lenny.

Antes de passar a algumas configurações deixo aqui um site da Debian que através de ícones tipo os do tempo na extensão Forecast do Firefox, nos mostra para as diversas arquitecturas que a Debian suporta, se hoje é ou não um bom dia para fazer instalações e upgrades, especialmente das Testing e Unstable, trata-se do Debian Weather.

Já agora uma advertência e uma dica, segundo a malta da sidux, só se deve de usar apt-get para mexer nas actualizações e instalação de software directamente da linha de comandos e nunca as versões gráficas dessa ferramenta como por exemplo a Synaptic, supostamente também o aptitude poderá causar alguns dissabores, isto para a versão Sid da Debian.
Confesso que uso o aptitude com a minha configuração Testing/Unstable e nunca tive qualquer problema.

Quanto à dica, na minha configuração uso ainda o excelente script smxi o qual pergunta a quando da sua instalação/1ª utilização, se queremos usar apt-get ou aptitude; uso ainda os kernel da sidux ou o Liquorix Zen based também configurado pelo criador do smxi.

As minhas configurações:

Segundo o wiki da Debian e o Howto da Ubuntu, existem 3 ficheiros na directoria /etc/apt/ que necessitam sofrer algumas modificações ou serem criados.

1. definir a versão da nossa Debian por omissão/default em /etc/apt/apt.conf.d/
2. sources.list em /etc/apt/sources.list ou ainda /etc/apt/sources.list.d/ há que acrescentar um repositório Sid
3. preferences em /etc/apt/preferences que pode não existir ou ainda /etc/apt/preferences.d/

No meu caso:

Como já existiam por lá ficheiros de configuração como o 00x e 01x bem como outros resolvi atribuir ao meu ficheiro que define a versão por omissão da minha Debian, o 02debian que ficou do seguinte modo;

/etc/apt/apt.conf.d# ls
00trustcdrom  01autoremove  02debian 10apt-listbugs  70debconf  80cache 99-localepurge

/etc/apt/apt.conf.d# cat 02debian
APT::Default-Release “squeeze”;

aumentei ainda o cache para cerca de 128Mb uma vez que agora o apt iria ter ficheiros quer da Testing quer da Sid/Unstable

/etc/apt/apt.conf.d# cat 80cache
APT::Cache-Limit “134217728″;

por fim criei o ficheiro /etc/apt/preferences.d/preferences

/etc/apt/preferences.d# cat preferences
Package: *
Pin: release a=testing
Pin-Priority: 900

Package: *
Pin: release a=unstable
Pin-Priority: 800

Ou seja com estas pequenas configurações sempre que precise como foi o caso há pouco tempo com o fabuloso rtorrent, que crashava cada vez que eu o iniciava por causa deste bug, posso instalar software da versão Sid ou até passar tudo para Sid, embora continue por omissão na Testing.

Para corrigir o problema com o pacote rtorrent bastou-me depois destas configurações fazer

#aptitude update
#aptitude install libtorrent11/unstable ou ainda #aptitude -t unstable install libtorrent11

Bug#564525: rtorrent: should depend on libtorrent 0.12.6-2

rtorrent upgraded from 0.8.5-2 to 0.8.6-1 hangs almost immediately at startup with message “Caught floating point exception”. Upgrading libtorrent11 from current squeeze’s 0.12.5-2 to sid’s 0.12.6-2 fixes the problem.

Para finalizar aqui ficam alguns links sobre este processo:

sidux Manuals – APT-Guide

APT is short for Advanced Packaging Tool and is a collection of programs and scripts that help both the sysadmin (in your case root) with the installation and management of deb-files but equally the system itself to know what is installed.

AptPreferences – Debian Wiki

Pinning allows you to run certain packages from one version (stable, testing, unstable) without the necessity of upgrading your entire system. However, pulling in packages from “later” distributions are prone to pull in libraries as well, which might have you end up with a system that has the disadvantages of stable (old software), the disadvantages of unstable/testing (security support not as good as stable, bugs) without the advantages of either.

At its most basic level, pinning involves two files, /etc/apt/sources.list and /etc/apt/preferences.

An additional role is played by the target release, which can be set in apt.conf (or in a /etc/apt/conf.d/… file and via the apt command line.

PinningHowto – Community Ubuntu Documentation

This wiki page will discuss some advanced things you can do to packages to accomplish specific goals. The first thing described is Pinning, this is useful if you want only some things from a newer version of Ubuntu. There is also package holding, which allows you to not update the package.

Fast and safe upgrade to Debian sid from stable or testing | edin.no-ip.com

Debian only provide stable and testing installation CD/DVD so there is no way to install with sid directly. In order to use Debian sid, you will need to upgrade from existing installation. BTW, you may try once before but found that there was a lot of error message about package dependency, or not even able to complete the upgrade due to some tricky gap.

Debian mix – testing e unstable » Omnia sunt communia

Mas apesar de querer ter o Sid não quero que o meu sistema quebre muitas vezes por isso configurei o apt pinnig para manter os pacotes do testing quando uma actualização tiver como resultado a remoção de um pacote.

Apt-Pinning for Beginners

Do you run Debian? Have you ever gotten annoyed at how Debian Stable always seems to be out of date?

I will show you a way that you can have apt mix-and-match between Stable, Testing, and Unstable sources. This will allow you to run a mostly-Stable system, but also track the latest and greatest of those packages that you are most keenly interested in.

Recuperação do GRUB2 em Debian

Posted in Debian, GRUB/GRUB2 on Dezembro 17, 2009 by ovigia

Hoje após correr o script de actualização, smxi na Debian do meu laptop, por alguma razão que não sei qual, uma vez que não estava a ver o que ela estava a fazer 😉 ao fazer reboot deparei-me com o seguinte erro no GRUB2:

GRUB Loading.

WELCOME to GRUB!

Entering rescue mode…
error: the symbol `grub_loaded_is_loaded’ not found
grub rescue>

Confesso que ainda não tinha olhado para o GRUB2, como tal a única coisa que me lembrei foi de escrever help a ver se apareciam alguns comandos, mas nada.
No scroogle também apenas encontrei isto.

Resolvi entrar à bruta e reinstalar o GRUB2, convém frisar que num dos updates anteriores há uns tempos atrás, o update tinha feito o upgrade do GRUB para o GRUB2 sem qualquer problema.

Eis o que fiz para reinstalar o GRUB2.

1. Peguei num livecd do #!Crunchbang 9.04.1 (mental note, colocar a multidistro Katana numa pen USB) e fiz reboot, após este carregar havia que descobrir a partição onde está instalado o boot da Debian.

$sudo fdisk -l (é um L)

Disk /dev/sda: 80.1 GB, 80060424192 bytes
255 heads, 63 sectors/track, 9733 cylinders
Units = cylinders of 16065 * 512 = 8225280 bytes
Disk identifier: 0x34fe34fd

   Device Boot      Start         End      Blocks   Id  System
/dev/sda1               1         131     1052226   82  Linux swap / Solaris
/dev/sda2   *         132        1667    12337920   83  Linux
/dev/sda3            1668        9733    64790145    5  Extended
/dev/sda5            1668        3200    12313791   83  Linux
/dev/sda6            3201        9733    52476291   83  Linux

Reparem onde está o asterisco, é essa a partição a usar.

2. Montar essa partição a partir do livecd

$sudo mount /dev/sda2 /mnt

3. Reinstalar o GRUB2

$sudo grub-install –root-directory=/mnt/ /dev/sda

(reparem que agora apenas dou a indicação do disco e não da partição, sda sem o 2)

O problema é que isto deu outro erro, queixava-se de um problema qualquer relativo ao ficheiro device.map
Resolvi renomear o ficheiro para device.map.bak e corri de novo o comando acima.
Desta vez tudo correu bem.

4. Fazer reboot, ou seja reiniciar a partir do disco rígido.

Se tudo tivesse corrido bem no ponto 3, sem que tivesse sido necessário renomear o ficheiro device.map, agora seguir-se-ia

$sudo update-grub ou na Debian #update-grub

Mas como não correu tudo bem, dei por mim novamente no ecrã do GRUB2 que me tinha aparecido a quando do upgrade automático do GRUB para GRUB2 o qual indicava que após o boot caso tudo corresse bem que deveria correr o seguinte comando

#upgrade-from-grub-legacy

And that’s it, tudo a bombar.

A propósito o excelente livro Linux in a Nutshell tem muita e boa info sobre o GRUB.

Powered by ScribeFire.

Instalando extensões do Mozilla Firefox no GNU Icecat

Posted in Apps, Debian, Segurança, Web on Dezembro 6, 2009 by ovigia

Para obter mais segurança e privacidade como tenho por aqui escrito, resolvi começar a usar o GNU Icecat, mas uma vez que o seu UserAgent contém a informação sobre o Icecat, no site das extensões do Firefox não as conseguimos instalar, por forma a contrariar isso, o mais fácil é instalando a extensão User Agent Switcher, e depois modificar o final do nosso user agent ou então criar um para o efeito.

Este exemplo funciona para instalar as extensões: Mozilla/5.0 (X11; U; Linux i686; en-US; rv:1.8.1.3) Gecko/20070309 Firefox/3.5.5

O pequeno pormenor que faz toda a diferença é o fim: Mozilla/5.0 (X11; U; Linux x86_64; en-US; rv:1.9.1.5) Gecko/20091109 IceCat/3.5.5

Podemos verificar como ele está aqui

E para saber-mos o que o nosso browser está a enviar, por motivos de privacidade e segurança, podemos dar olhada aqui.

Agora tenho de ver como é que se compila isto 🙂 para aumentar ainda mais a segurança!

Para instalar a versão normal é simples, dar olhada aqui

=-=-=-=-=
Powered by Bilbo Blogger

Bronca na placa wireless – ath5k phy0: noise floor calibration failed (2412MHz)

Posted in Debian, Hardware, kernel on Outubro 25, 2009 by ovigia

Ontem e após mais um upgrade à minha rolling distro Debian Testing/Sid(unstable) que estou a usar no Laptop em conjunto com o excelente script smxi e com o kernel Liquorix, começou a suceder algo estranho mesmo com o sistema quase idle, agora que estou viciado na rádio das bandas sonoras de filmes a Cinemix e que a estou quase sempre a escutar reparei que de tantos em tantos segundos por uma fracção de milésimos o som era interrompido, escusado será dizer que já me estava a passar.

Pensei que fosse algum problema da rede uma vez que estava a usar o rtorrent e este estava a bombar a toda a velocidade!
Pensei que fosse do Tracker que estivesse activo, mas não era, também não era do mocp nem sequer de qualquer outro programa de audio nem video, os quais testei, quer VLC quer MPlayer/SMPlayer também estavam com o mesmo problema, ao ver um video de tantos em tantos segundos ocorria o mesmo problema mas agora para além do audio afectava também o video.

Resolvi ver o que o log dava:

#dmesg ou #tail -f /var/log/messages mostraram que havia bronca!

ath5k phy0: noise floor calibration failed (2412MHz)

WTF?
Era o driver da placa wireless, mas o que queria dizer isto?
Google is your friend!

Parece que com o upgrade, houve alguma regressão no driver ath5k da placa wireless do laptop, uma vez que não necessito da placa wireless a funcionar não me tive para chatear e instalar o outro driver, o madwifi e como tal optei por desligar o modulo da placa.

Ora aqui fica o que fiz que não tem nada de especial é só mesmo colocar o driver na blacklist.

#nano /etc/modprobe.d/blacklist

e depois colocar nesse ficheiro a indicação: blacklist ath5k

E pronto assunto resolvido.

O que acima escrevi ficará activo a quando de um reboot, para desligar agora o driver é só remover o módulo.

#rmmod ath5k

Caso seja necessário instalar o driver com o binário não livre, a versão madwifi com os tais blobs, pelo que encontrei na web é simples, basta seguir o que está no manual da sidux, uma rolling distro que no fundo é puro Debian sid.

Ou então seguir estas dicas:

Instalando driver madwifi para placa Atheros no Ubuntu « Liberdade ainda que tardia

Agora
sim vamos instalar o madwifi. Para compilar o driver, você irá precisar
do pacote build-essential do Ubuntu, esse pacote instalará as
ferramentas necessárias para compilar qualquer pacote no seu sistema,
no terminal digite:

#apt-get install build-essential

Agora, de acordo com o post do forum, baixe o arquivo dos fontes do madwifi:

http://snapshots.madwifi-project.org/madwifi-hal-0.10.5.6-current.tar.gz

Extraia o conteúdo do arquivo e pelo terminal entre na pasta criada:

#cd madwifi-hal-0.10.5.6-r3879-20081204

Use o comando make para compilar o driver:

$make

Após compilar use o make novamente para instalar o driver:

#make install

Reinicie
o pc e o driver deverá funcionar, se por algum motivo ele não
funcionar, tente carregar o driver manualmente, digite no terminal:

#modprobe ath_pci

Com tudo a funcionar já podemos armar-mo-nos em háckaros 😉

Main [Aircrack-ng]

Aircrack-ng is an 802.11 WEP and WPA-PSK keys cracking program that can recover keys once enough data packets have been captured. It implements the standard FMS attack along with some optimizations like KoreK attacks, as well as the all-new PTW attack, thus making the attack much faster compared to other WEP cracking tools. In fact, Aircrack-ng is a set of tools for auditing wireless networks.

Powered by ScribeFire.

Limitando a largura de banda no APT

Posted in APT, Debian on Outubro 12, 2009 by ovigia

O Bruno do blog http://conversasdobruno.blogs.sapo.pt/, escreveu a seguinte dica sobre a limitação de largura de banda na utilização do APT, uma das ferramentas de gestão de pacotes da distro Debian e suas descendentes e que já foi adoptada por outras como a Slack, Fedora etc.

Aqui fica a transcrição:

Como limitar a largura de banda usada pelo apt

Como nem sempre a largura de banda disponível é a maior e é preciso estar a usar parte dela para outras coisas que não a actualização do sistema, convém definir a velocidade limite com que o apt descarrega os pacotes.

Abaixo, ficam duas formas de aplicar este limite. Uma é temporária e a outra permanente (mas pode ser alterada ou removida a qualquer altura).

Temporária:

Usar o parâmetro “-o” com o apt-get. Ex.:

sudo apt-get -o Acquire::http::Dl-Limit=25 upgrade (neste caso, limita-se a velocidade de download a 25KB/s)

Permanente:

Criar o ficheiro /etc/apt/apt.conf.d/76download e colocar dentro dele o seguinte conteúdo (novamente, limitando a velocidade de download a 25KB/s):

Acquire

{

Queue-mode “access”;

http

{

Dl-Limit “25”;

};

};

Parecendo que não, é coisa que dá jeito quando a velocidade de download é diminuta e há mais pessoas a usar esta já por si lenta ligação.

Powered by ScribeFire.