Archive for the CLI Category

Clonar, criar Imagens, efectuar Backups (cópia de segurança) e recuperar ficheiros

Posted in Apps, Backups, CLI, GUI on Outubro 10, 2011 by ovigia

Se por acaso andam à procura de semelhantes ferramentas, aqui ficam então 6 listas que por certo irão servir para proteger a vossa informação e poupar muito trabalho….

Há ferramentas para todas as plataformas ou quase, como sempre as minhas preferidas e as que unicamente uso, pelo menos em casa ou para ajudar conhecidos e amigos, são todas Software Livre.

via Debian

Cloning (clonar)

Imaging (criar imagens)

Backup (cópias de segurança)

Recuperar ficheiros

Distros LiveCD e USB para recuperar sistemas

Remaster – criar as próprias distros

Mais listas de distros, a livecdlist e a distrowatch

LowSpecBox: distros para hardware antigo (1)

Posted in Apps, CLI, LowSpecBox on Novembro 2, 2010 by ovigia

Nesta entrada vou deixar links para algumas distros e até para BSDs que são excelentes para brincar/aprender/trabalhar mas que requerem muito poucos recursos de hardware e que por isso são óptimas para instalar em máquinas mais antigas, o ideal são mesmo portáteis antigos, uma das razões para a escolha de portáteis é o seu baixo consumo de energia podendo como tal serem um excelente ponto de partida para um servidor caseiro, router, firewall e como têm hardware wireless até permitem criar um hotspot/rede adhoc/mesh, para além disso sempre ajudamos o planeta.

o meu desktop (#!CB Xfce) – apenas 61Mb de RAM

BSD
– qualquer BSD serve muito bem para criar uma lowspecbox e com ela aprender UNIX.

GNU/Linux

Distros e BSDs para routers e firewalls

  • IPCop“is a complete Linux Distribution whose sole purpose is to protect the networks it is installed on. By implementing existing technology, outstanding new technology and secure programming practices IPCop is the Linux Distribution for those wanting to keep their computers/networks safe.”
  • m0n0Wall“is a project aimed at creating a complete, embedded firewall software package that, when used together with an embedded PC, provides all the important features of commercial firewall boxes (including ease of use) at a fraction of the price (free software).
  • pfSense – “pfSense is a free, open source customized distribution of FreeBSD tailored for use as a firewall and router. In addition to being a powerful, flexible firewalling and routing platform, it includes a long list of related features and a package system allowing further expandability without adding bloat and potential security vulnerabilities to the base distribution.”
  • floppyfw is a router with the advanced firewall-capabilities in Linux that fits on one single floppy disc.
  • Devil-Linux“is a distribution which boots and runs completely from CDROM. The configuration can be saved to a floppy diskette or a USB pen drive. Devil Linux was originally intended to be a dedicated firewall/router but now Devil-Linux can also be used as a server for many applications.”
  • IPFire “is a linux-distribution that focusses on easy setup, good handling and a high niveau of security. It is operable via an intuitive webinterface, which offers a lot of playground for beginners and even experienced administrators”

Curiosidades/engenho:

Mais info:

Powered by ScribeFire.

Screencasts em GNU/Linux: Algumas aplicações GUI e CLI

Posted in Apps, CLI, GUI, Video on Outubro 30, 2010 by ovigia

Screencast – Wikipédia, a enciclopédia livre

Screencasts é o registo (gravação) da saída do vídeo gerado por computador em actividade. Pode ou não conter o áudio integrado.
São úteis para demonstrar características de softwares. Utilizadores podem relatar erros e colaboradores mostrar a outros como uma tarefa é realizada num ambiente específico.

Agora que já sabemos o que são screencasts vamos às aplicações que podem ser usadas em GNU/Linux quer em ambiente gráfico (GUI) quer em linha de comandos / Terminal (CLI)

https://i1.wp.com/xvidcap.sourceforge.net/instruct-Screenshot.jpg
via xvidcap

GUI:

CLI:

  • ffmpeg
  • xvidcap – também se pode usar directamente na CLI

Estes programas são bastante flexíveis e permitem output em formatos livres como Ogg Theora e Ogg Vorbis, caso queiram fazer upload para o youtube por exemplo e uma vez que este não suporta estes formatos podem no entanto converter [*] para outro formato livre e aberto que o youtube suporta de forma nativa o WebM que é VP8+mkv

Há também a possibilidade de criar uma espécie de mosaico/thumbnail de um conjunto de vídeos com o movie thumbnailer (mtn).

Alguns exemplos do uso em CLI via commandlinefu 🙂

Record your desktop
That will capture 200 seconds of video at fullscreen 1680×1050 resolution, but scaled down 25 percent, with 15 frames per second.
http://fusioncast.blogspot.com/2007/09/infobyte-how-i-record-my-desktop.html


$xvidcap –file filename.mpeg –fps 15 –cap_geometry  1680×1050+0+0 –rescale 25  –time 200.0 –start_no 0 –continue yes –gui no –auto

$ffmpeg -f x11grab -s wxga -r 25 -i :0.0 -sameq  /tmp/out.mpg  

Record a screencast and convert it to an mpeg
Grab X11 input and create an MPEG at 25 fps with the resolution 800×600

$ffmpeg -f x11grab -r 25 -s 800×600 -i :0.0  /tmp/outputFile.mpg

Capture video of a linux desktop

$ffmpeg  -f x11grab -s `xdpyinfo | grep ‘dimensions:’|awk ‘{print $2}’` -r 25 -i :0.0 -sameq /tmp/out.mpg >  /root/howto/capture_screen_video_ffmpeg


Mais info
How to upload a video to YouTube and ensure it is viewable in WebM
[*]

1 41 Screenshot-VLC media player.png
9 41 Screenshot-Convert.png

Powered by ScribeFire.

Software Livre de: WebTV, HTPC e Torrents

Posted in Apps, CLI, GUI, P2P/F2F, Video, Web on Outubro 25, 2010 by ovigia

Na entrada de hoje vou falar das minhas preferências de software livre para dois fins que em alguns casos acabam por serem coincidentes e terem objectivos comuns, assistir aos melhores vídeos que podem ser encontrados na rede.

Essa coisa de assistir a programas na TV já está completamente démodé 😉 eu pelo menos há muito tempo que pouco ou nada vejo nas TVs, ou há-de ser propaganda política ou programação idiota, já para não falar de filmes ainda mais idiotas ou já repetidos dezenas de vezes.

Tudo ou quase tudo está na grande rede, é só necessário ter as ferramentas certas.

Para gravar algumas boas séries dos canais de cabo, que me recuso a ter, também existe excelente software como a seguir indicarei.

Miro 3.5 on Mac OS X
via Miro

WebTV:

  • Miro“An amazing open-source, non-profit video player.”
  • Tivion“Tivion is a simple streaming player for TV online. It’s a program that I
    develop with Python using the GTK library, PyGTK and the backend of
    player Mplayer. “
  • Tribler“Tribler is an application that enables its users to find, enjoy
    and share content. With content we mean video, audio, pictures, and much
    more.”
https://i2.wp.com/tribler.org/images/screenshot-5.2.png
via Tribler


TV:
LinuxTV

  • tvtimetvtime is a high quality television application for use with
    video capture cards on Linux systems.
    tvtime processes the
    input from a capture card and displays it on a computer monitor or
    projector.”
  • xawtv“xawtv started as TV application for the bttv
    driver
    , because the Motif-based “xtvscreen” was the only
    TV application at this time.”

Oh, Mojo screenshot
via tvtime

Ou tudo integrado em projectos como:

  • MythTV“MythTV is a Free Open Source software digital video recorder (DVR) project
    distributed under the terms of the GNU GPL.”
  • Freevo
    Freevo is an open source HTPC media centre software integrating PVR / DVR funtionality along with music, video, gaming,
    home automation and more. It is written in python and uses existing popular software such as mplayer,
    xine and vlc. Primarily aimed at the Linux platform it is also possible to run on OSX and for the
    determined on Windows. It is the main mythtv alternative.”
  • GeeXbox – “GeeXboX is a free and Open Source Media-Center purposed Linux
    distribution for embedded devices and desktop computers. GeeXboX is not
    an application, it’s a full-featured OS, that one can boot as a LiveCD,
    from a USB key, an SD/MMC card or install on its regular HDD.”
  • LinuxMCE“LinuxMCE is a free, open source add-on to Kubuntu which is mostly licensed under GPL.”
  • xbmc – “XBMC is an award-winning free and open source (GPL) software media player and entertainment hub for digital media.”
https://i1.wp.com/geexbox.org/img/freevo-scr-video.png
via freevo

File:Arclight.png
via mythtv

Torrents:

  • rtorrent – o meu favorito cliente de bittorrent, mas para a linha de comandos (CLI), também tem uns quantos front-ends, especialmente web.
  • qbittorrent – o meu favorito em KDE, o Ktorrent também não é nada mau
  • deluge – quando uso Window Managers como o Xfce, E17, Openbox e não Desktop Environments como KDE ou GNOME; também é excelente
  • transmission-cli – reparem no pormenor CLI, não uso a versão GUI, para isso prefiro os que acima menciono, agora o transmission tem esse pormenor interessante de poder-mos usá-lo também directamente na linha de comandos e com direito a Bluetack (PeerGuardian) blocklists

Screenshot
via qBittorrent

File:Rtorrent.png
via rtorrent/wikipedia

Em P2P/F2F/darknets existe ainda software livre mais especializado para trocar ficheiros de forma segura entre amigos, familiares etc como havia mencionado nesta entrada, Backups online – Algumas ferramentas, incluindo self-made 🙂

Mais info:

Powered by ScribeFire.

A minha Debian e Crunchbang #1

Posted in Apps, APT, CLI, Debian, GUI on Abril 26, 2010 by ovigia

Vou dar início a mais uma entrada aqui no Debian Dicas tendo como objectivo uma mental note de tudo o que gosto de ter instalado nos meu Laptop e futuro Netbook, que espero venha a ser um com CPU ARM.

https://i2.wp.com/www.linuxinsight.com/files/images/why-mike-likes-debian.jpg

Nesses computadores opto sempre por escolher aplicações leves dando preferência a aplicações que correm na CLI (linha de comandos).

No título menciono Debian e #!CrunchBang porque como já escrevi no Nixware, a #!CB (CrunchBang) a partir da nova versão que já está disponível em versão alpha, a Statler, que é baseada na versão Testing/Squeeze da Debian, a futura versão estável desta venerável distro, como tal instalar qualquer uma das duas é uma excelente opção.

Outra das razões de não estar a fazer grandes distinções entre instalar uma ou outra é o facto de ambas usarem o instalador da Debian e ainda o facto da #!CB usar dois gestores de janelas leves, o OpenBox e o Xfce, ambos muito bons para instalar neste tipo de máquinas.

É claro que em qualquer uma se pode escolher instalar outro gestor ou mesmo um desktop manager como o KDE.

Outras boas escolhas para este tipo de hardware são o Fluxbox, E17, LXDE bem como o Pekwm.

Num portátil ou netbook convém instalar-mos algumas medidas de segurança como é o caso de LVM com encriptação, pelo menos para a partição/volume onde está a HOME/directoria dos utilizadores.

Termino esta primeira parte descrevendo brevemente como os meus discos de laptops geralmente ficam particionados, uso sempre uma partição para o root file system /, outra para a Swap e outra para a directoria dos utilizadores HOME.

Manipular imagens na linha de comandos (I)

Posted in CLI, Imagem on Fevereiro 5, 2010 by ovigia

Precisava de mexer no tamanho de algumas imagens para as colocar no Forum Bushcraft, como tal lembrei-me de usar um excelente pacote/programa que na distro Debian e suas filhas fica à distância de dois comandos:

#aptitude update
#aptitude install graphicsmagick

O Graphicsmagick é um fork completamente livre e mais optimizado do Imagemagick.
Aqui têm alguns benchmarks para comparem as performances de cada uma destas versões.

Outro pacote/programa que permite manipular um vasto conjunto de imagens ao mesmo tempo é o Phatch, mas este é uma espécie de front-end para algumas das coisas que o Graphicsmagick e o Imagemagick permite, entre as quais:

  • Actions: resize, rotate, invert, flip, watermark, shadow, rounded corners and much more!
  • Drag & drop of actions
  • Enable & disable actions
  • Can copy folder hierarchies
  • Python shell
  • Error logging
  • File history
  • Console (can run on servers without gui)
  • Desktop droplets
  • Image Inspector (exif & iptc)
  • Cross-platform (Linux, Windows & Mac)
  • python-api

Como não percebo muito destas coisas relativas à manipulação de imagem esta entrada e posteriores servirá apenas como dica de entrada para coisas mais complexas e para repositório de alguns links porreiros sobre este tema.

Sendo que um dos mais porreiros é um artigo da IBM sobre o Imagemagick que nos dá uma pequena demonstração do que ele é capaz.

Graphics from the command line; Flip, size, rotate, and more with ImageMagick
E para aquilo que eu pretendo fazer chega e sobra 😉

Ora então vamos lá, como a resolução das imagens é um bocado avantajada vou reduzi-la.

$convert -sample 1024x768 img.in.jpg img.out.jpg


e já está, convém referir que a imagem mantém o aspect ratio.

Também poderia ter usado uma determinada percentagem ou ter criado por exemplo thumbnails para todas as fotos de uma directoria.

Ainda das dicas da IBM,

$convert -sample 25%x25% input.jpg output.jpg

<i>for img in `ls *.jpg`
do
  convert -sample 25%x25% $img thumb-$img
done</i>

Debian Testing e Sid (Unstable) usando Pinning

Posted in APT, CLI, Debian on Janeiro 14, 2010 by ovigia

Desde há tempos que corro no meu portátil Debian pura, uma mistura de Testing (a futura versão Squeeze) e a Sid (a versão Unstable) da Debian.

Comecei a pensar nisso quando durante algum tempo usei a distro sidux, totalmente baseada na versão Sid da Debian, como nunca tive qualquer problema com o seu uso e os seus updates e após ter gostado da simplicidade da distro #!Crunchbang (baseada em Debian/Ubuntu), resolvi tentar construir a partir de uma instalação netinstall da Debian o mesmo funcionamento da #!Crunchbang.
A propósito existem discussões no forum dela por forma a eventualmente a próxima versão deixar de ser baseada em Ubuntu e passar a puro Debian Testing/Unstable tornando-a assim numa flexível rolling distro, tal como a malta do Eeebuntu planeia fazer o mesmo com a sua Eeevolution 4.0.

A partir da próxima versão oficial da Elive, esta também passará a ter a versão de desenvolvimento baseada na Testing da Debian, hoje é baseada na versão Stable/Lenny.

Antes de passar a algumas configurações deixo aqui um site da Debian que através de ícones tipo os do tempo na extensão Forecast do Firefox, nos mostra para as diversas arquitecturas que a Debian suporta, se hoje é ou não um bom dia para fazer instalações e upgrades, especialmente das Testing e Unstable, trata-se do Debian Weather.

Já agora uma advertência e uma dica, segundo a malta da sidux, só se deve de usar apt-get para mexer nas actualizações e instalação de software directamente da linha de comandos e nunca as versões gráficas dessa ferramenta como por exemplo a Synaptic, supostamente também o aptitude poderá causar alguns dissabores, isto para a versão Sid da Debian.
Confesso que uso o aptitude com a minha configuração Testing/Unstable e nunca tive qualquer problema.

Quanto à dica, na minha configuração uso ainda o excelente script smxi o qual pergunta a quando da sua instalação/1ª utilização, se queremos usar apt-get ou aptitude; uso ainda os kernel da sidux ou o Liquorix Zen based também configurado pelo criador do smxi.

As minhas configurações:

Segundo o wiki da Debian e o Howto da Ubuntu, existem 3 ficheiros na directoria /etc/apt/ que necessitam sofrer algumas modificações ou serem criados.

1. definir a versão da nossa Debian por omissão/default em /etc/apt/apt.conf.d/
2. sources.list em /etc/apt/sources.list ou ainda /etc/apt/sources.list.d/ há que acrescentar um repositório Sid
3. preferences em /etc/apt/preferences que pode não existir ou ainda /etc/apt/preferences.d/

No meu caso:

Como já existiam por lá ficheiros de configuração como o 00x e 01x bem como outros resolvi atribuir ao meu ficheiro que define a versão por omissão da minha Debian, o 02debian que ficou do seguinte modo;

/etc/apt/apt.conf.d# ls
00trustcdrom  01autoremove  02debian 10apt-listbugs  70debconf  80cache 99-localepurge

/etc/apt/apt.conf.d# cat 02debian
APT::Default-Release “squeeze”;

aumentei ainda o cache para cerca de 128Mb uma vez que agora o apt iria ter ficheiros quer da Testing quer da Sid/Unstable

/etc/apt/apt.conf.d# cat 80cache
APT::Cache-Limit “134217728″;

por fim criei o ficheiro /etc/apt/preferences.d/preferences

/etc/apt/preferences.d# cat preferences
Package: *
Pin: release a=testing
Pin-Priority: 900

Package: *
Pin: release a=unstable
Pin-Priority: 800

Ou seja com estas pequenas configurações sempre que precise como foi o caso há pouco tempo com o fabuloso rtorrent, que crashava cada vez que eu o iniciava por causa deste bug, posso instalar software da versão Sid ou até passar tudo para Sid, embora continue por omissão na Testing.

Para corrigir o problema com o pacote rtorrent bastou-me depois destas configurações fazer

#aptitude update
#aptitude install libtorrent11/unstable ou ainda #aptitude -t unstable install libtorrent11

Bug#564525: rtorrent: should depend on libtorrent 0.12.6-2

rtorrent upgraded from 0.8.5-2 to 0.8.6-1 hangs almost immediately at startup with message “Caught floating point exception”. Upgrading libtorrent11 from current squeeze’s 0.12.5-2 to sid’s 0.12.6-2 fixes the problem.

Para finalizar aqui ficam alguns links sobre este processo:

sidux Manuals – APT-Guide

APT is short for Advanced Packaging Tool and is a collection of programs and scripts that help both the sysadmin (in your case root) with the installation and management of deb-files but equally the system itself to know what is installed.

AptPreferences – Debian Wiki

Pinning allows you to run certain packages from one version (stable, testing, unstable) without the necessity of upgrading your entire system. However, pulling in packages from “later” distributions are prone to pull in libraries as well, which might have you end up with a system that has the disadvantages of stable (old software), the disadvantages of unstable/testing (security support not as good as stable, bugs) without the advantages of either.

At its most basic level, pinning involves two files, /etc/apt/sources.list and /etc/apt/preferences.

An additional role is played by the target release, which can be set in apt.conf (or in a /etc/apt/conf.d/… file and via the apt command line.

PinningHowto – Community Ubuntu Documentation

This wiki page will discuss some advanced things you can do to packages to accomplish specific goals. The first thing described is Pinning, this is useful if you want only some things from a newer version of Ubuntu. There is also package holding, which allows you to not update the package.

Fast and safe upgrade to Debian sid from stable or testing | edin.no-ip.com

Debian only provide stable and testing installation CD/DVD so there is no way to install with sid directly. In order to use Debian sid, you will need to upgrade from existing installation. BTW, you may try once before but found that there was a lot of error message about package dependency, or not even able to complete the upgrade due to some tricky gap.

Debian mix – testing e unstable » Omnia sunt communia

Mas apesar de querer ter o Sid não quero que o meu sistema quebre muitas vezes por isso configurei o apt pinnig para manter os pacotes do testing quando uma actualização tiver como resultado a remoção de um pacote.

Apt-Pinning for Beginners

Do you run Debian? Have you ever gotten annoyed at how Debian Stable always seems to be out of date?

I will show you a way that you can have apt mix-and-match between Stable, Testing, and Unstable sources. This will allow you to run a mostly-Stable system, but also track the latest and greatest of those packages that you are most keenly interested in.